Projetos e pessoas extraordinárias que estão a mudar o mundo


Navigation Menu+

UNIVERSIDADE DOS PÉS DESCALÇOS

     Jul 3, 2014

Barefoot - UN Women

Um sistema eficaz para melhorar a vida das pessoas que vivem nas aldeias rurais mais pobres.

Durante os anos de faculdade, de Bunker Roy a sua primeira visita a uma pequena aldeia na Índia aconteceu em 1965 e transformou completamente a sua percepção do mundo. Esta experiência revelou-lhe uma sociedade negligenciada, ao abandono e a lutar sozinha contra a fome, o endividamento e outros problemas comuns a qualquer aldeia indiana.

 

Assim, depois de completar a sua licenciatura, Roy acabou por decidir dedicar a sua vida ao serviço social de proximidade, para grande choque dos seus pais. O jovem de 22 anos deixou o mundo que conhecia para começar uma nova vida junto dos pobres, escavando poços para conseguir água potável em Ajmer. Cinco anos depois, numa visita a Tilonia, Rajasthan, fazia nascer Barefoot College. Era o ano 1972.

 

 

 bunker roy

 Bunker Roy numa aldeia com habitante local. Imagem cortesia de Barefoot College.

 

 

Nas últimas duas décadas, o projecto Barefoot College, que pode ser entendido como um ensino para os de “pés-descalços”, tem sido pioneiro em campos que variam entre a energia solar, água, educação, comunicação e mesmo advocacia. De acordo com Laura Remedios, que tem vindo a colaborar com o projecto, o crescimento é notável e o seu sistema já é replicado um pouco por todo o mundo.

 

No entanto, é importante que atente na seguinte contextualização para que se possa familiarizar com a evolução do Barefoot College. A ideia do projecto teve origem na estadia de Roy com as pessoas mais pobres e na partilha das suas estórias, capacidades e sabedoria – conhecimento que nenhum livro havia sido capaz de oferecer a Roy até aquele momento. Foi assim que pôde compreender que em países como a Índia e África abundam pessoas incrivelmente capacitadas que, apesar dos seus conhecimentos e desenvoltura, não vêem o seu valor devidamente reconhecido. Estes podem não ser engenheiros, arquitectos ou peritos em água, por formação, mas têm mais a oferecer às suas comunidades que muitos governantes ou grandes empresas – assim entendeu Bunker Roy.

quotept

Desde a sua iniciação que o Barefoot College tem vindo a desmistificar e descentralizar o recurso a tecnologias avançadas ao dar controlo e acesso das mesmas a comunidades pobres inseridas numa Índia rural. É sua crença que mesmo ao mais pobre dos pobres não pode ser negado o direito ao uso e gestão das tecnologias para benefício da sua própria vida. Ninguém esperaria de uma avó indiana, quase sem educação alguma, que fosse capaz de instalar, gerir e ensinar a outras avós a complexidade dos sistemas de engenharia solar. Ainda assim, esta avó e tantos outros como ela esforçam-se e comprometem-se a usar as suas capacidades de forma a melhorarem as suas comunidades. Ao acreditar nas suas capacidades e estimular o orgulho próprio destas pessoas, Roy mostra-lhes que o limite é a nossa imaginação, independentemente de terem ou não educação escolar. “Essa é uma das mensagens poderosas que providenciamos através deste programa: que qualquer pessoa, qualquer pessoa que seja e independentemente de ter ou não frequentado escola e faculdade, tem a capacidade de se tornar um engenheiro ou dentista, arquitecto ou designer, ou trabalhar com computadores.”

 

A mente aberta de Bunker Roy e as suas ideias revolucionárias oferecem a oportunidade às comunidades de revelarem ao mundo o seu potencial e os resultados têm sido evidentes. Como refere Lauren, nos últimos quatro anos com a iniciativa solar  têm treinado mais de 800 semialfabetizados e expandido a iniciativa a 64 países por todo o mundo. As comunidades Barefoot reduziram com sucesso as emissões de carbono e conseguiram poupar mais de 500 litros de querosene, a nível global.

 

 

 kaspia's caravann

Imagem cortesia de KASPIA’S CARAVAN.

 

 

Apesar de o programa solar ter evidenciado um crescimento a nível global, as outras soluções Barefoot também se repercutiram de forma positiva na vida de muitos. “Perto de 5,000 artesãos (ferreiros, carpinteiros, tecelões) receberam mais de 500,000 dólares, o que lhes permitiu sair da pobreza e passar as suas tradições às gerações vindouras. No que respeita à educação, 4500 professores do Barefoot foram empregues para a educação de 75,000 casos de desistência, meninos e meninas pastores e crianças que nunca tiveram oportunidade de ir à escola em escolas rurais e escolas nocturnas”. Lauren destaca ainda que “80% das crianças a irem à escola nocturna são raparigas” e que “as soluções aplicadas na colheita da água, barragens e formas de dessalinização (…) impactaram 909 comunidades na Índia e em todo o mundo”.

 

E se os números são reveladores, as histórias das pessoas que viram a sua vida transformada pelas soluções da Universidade dos Pés Descalços são mais ainda.

 

Bijli, o que conhecemos por electricidade, é um recurso de que nem toda a gente consegue usufruir nas suas vidas diárias, especialmente se viver numa destas pequenas aldeias na Índia. Kachukara, a aldeia onde vive Ritu e a sua família, fica a 6 km da próxima localidade com electricidade, o que contribui para o uso de recursos alternativos (menos amigos do ambiente), como a gasolina, a queima da madeira ou fogões fumarentos. Esta falta de acesso à energia é também um dos factores que contribui para uma migração dos habitantes locais para cidades ou bairros superlotados.

 

Tudo isto mudou drasticamente quando Hachukara foi iluminada pela chegada das “Barefoot Solar Mamas”. Assim, a casa de Ritu, uma estrutura caiada com um quarto e uma cozinha exterior, foi presenteada com um painel solar instalado no telhado. “A coisa mais importante é que posso ir à casa de banho à noite. Eu tinha muito medo das cobras e costumava aguentar o meu xixi. Nas manhãs seguintes, a minha barriga doía e não podia ir trabalhar”, explica Ritu.

 

 

Ritus-house-solar-power-Barefoot-College-Lauren-Remedios-620x350 Casa de Ritu. Imagem cortesia de Barefoot College.

 

 

Esta mulher acordava por volta das 4 da manhã e a sua filha tinha que caminhar até à casa dos amigos para poder fazer os trabalhos de casa. Assim, as principais mudanças na vida desta mãe e filha podem ser tão simples como poderem encontrar vermes na comida à noite, cobras que se possam esconder pela casa, e podem ser tão importantes como permitir o estudo e leitura de uma criança, na sua própria casa. Para não mencionar o facto de Ritu poder agora dormir mais um par de horas.

 

Ritu está confiante que a energia solar mudou completamente as suas vidas e fica feliz ao poder observar a sua filha à noite. Esta possibilidade de ver a sua criança na escuridão da noite acaba por resumir o que se tem vindo a escrever até aqui. Pois que mãe não tem o direito de poder ver os seus filhos e tomar conta deles da melhor forma possível?

 

 

barefoot

 Imagem cortesia de Barefoot College.

 

 

De forma a poder continuar a expandir o alcance deste projecto, têm vindo a ser tomadas algumas decisões com vista a um futuro próximo. O Barefoot College tem como objectivo a criação de 5 centros comunitários de formação e a Iniciativa Clinton Global assumiu o compromisso de chegar a mais pessoas e desmistificar a tecnologia solar. Para que tal possa ser alcançado, há a necessidade de assistência de “partes interessadas, apoiantes, bem como doadores e financiadores que acreditem na missão e filosofia do Barefoot para levar as comunidades a um desenvolvimento sustentável”.

 

Existe uma correlação directa entre a electricidade e o progresso nestas vilas rurais. Falar de electricidade é o mesmo que falar em educação ou água. Estas melhorias levam ao desenvolvimento – é certo – mas, sobretudo, permitem a estas pessoas e famílias viverem de uma forma mais digna, com melhores condições de vida.

 

Para saber mais sobre a Barefoot College e ficar a conhecer as histórias de alguns alunos desta universidade, leia o artigo publicado anteriormente na IM Magazine (com texto de Inês Rodrigues e design de João Lourenço).­

 

VEJA TAMBÉM

0 Comments

Trackbacks/Pingbacks

  1. Barefoot College: Changing Lives Through Solar Energy - […] This article was first published by I’M Magazine […]

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

IM Magazine reserves the right to approve all comments.
Ofensive comments will not be accepted.