Projetos e pessoas extraordinárias que estão a mudar o mundo


Navigation Menu+

CONSCIÊNCIA E CURA

Written by Marilyn Schlitz      Jul 20, 2019

photo-1429277158984-614d155e0017

Uma abordagem holística à saúde do indivíduo no seu todo.

consciouness_1pt

Têm sido feito grandes progressos no estudo dos cuidados de saúde do indivíduo no seu todo. Integrar corpo, mente e espírito tornou-se na chave da educação, da prevenção e do tratamento na saúde. Apesar de muitos avanços num sem-número de abordagens holísticas, contudo, o nosso sistema de saúde continua a estar bastante mais focado na doença do que no bem-estar do indivíduo no seu todo.

 

A Ciência tem contribuído para a nossa compreensão e para o tratamento das doenças. E também tem limitado o desenvolvimento de um modelo que valorize as relações pessoais, as emoções, o sentido das coisas e sistemas de crenças que ligam corpo, mente, espírito, sociedade e natureza. Para cada vez mais pessoas, o modelo biomédico não logra em oferecer um sistema que permita compreender a plenitude das experiências vividas – minimizando ou negando completamente a possibilidade da transcendência humana perante a doença. Curar é mais do que tratar; é a restauração do todo.

 consciouness_2pt

Uma barreira significativa na integração de abordagens internas e externas à realidade é a incongruência aparente entre, por um lado, a visão geral da ciência, e por outro, a das tradições espirituais. Da forma como são normalmente concebidas, religião e ciência são incompatíveis. Mas uma vez entendidos e expandidos, estes dois domínios poderão ser incorporados numa quadro que reconheça as suas diferenças e compreenda as suas semelhanças.

 

De facto, isso leva-nos a uma espécie de espiritualidade comprovada que se reveja em diferentes formas de obter conhecimento e de ser. Isso também contempla uma abordagem centrada na relação entre saúde e cura. O filósofo Franklin Merrell-Wolf (1994) captou a essência deste impulso holístico na sua convicção de que “a Ciência, no sentido lato, não pode ficar restrita à objetividade da matéria, devendo estar aberta a outras possibilidades de acesso ao conhecimento. Reconhecer que a procura científica fica incompleta sem dados de muitos outros domínios de investigação, e sem diversas formas de conhecimento, é fundamental para a evolução que ocorre a um nível individual e coletivo. E fornece um novo mapa para os cuidados de saúde do indivíduo no seu todo.

 

Uma barreira significativa na integração de abordagens internas e externas à realidade é a incongruência aparente entre, por um lado, a visão geral da ciência, e por outro, a das tradições espirituais. Da forma como são normalmente concebidas, religião e ciência são incompatíveis. Mas uma vez entendidos e expandidos, estes dois domínios poderão ser incorporados numa quadro que reconheça as suas diferenças e compreenda as suas semelhanças.

 

De facto, isso leva-nos a uma espécie de espiritualidade comprovada que se reveja em diferentes formas de obter conhecimento e de ser. Isso também contempla uma abordagem centrada na relação entre saúde e cura. O filósofo Franklin Merrell-Wolf (1994) captou a essência deste impulso holístico na sua convicção de que “a Ciência, no sentido lato, não pode ficar restrita à objetividade da matéria, devendo estar aberta a outras possibilidades de acesso ao conhecimento. Reconhecer que a procura científica fica incompleta sem dados de muitos outros domínios de investigação, e sem diversas formas de conhecimento, é fundamental para a evolução que ocorre a um nível individual e coletivo. E fornece um novo mapa para os cuidados de saúde do indivíduo no seu todo.

 

Recorrer a uma perspectiva holística torna claro que a nossa capacidade para compreender novas possibilidades de uma saúde otimizada depende da manifesta vontade de ver num todo processos fisiológicos, emocionais, cognitivos, sociais, ecológicos e espirituais. Importa fazer perguntas cruciais sobre a relação entre consciência e mundo físico, reconhecendo a interligação entre pensamento, emoções e corpo.

 consciouness_3pt

Integrando o Modelo Holístico na Auto-Cura

Para prosperarmos enquanto indivíduos e membros de diversas comunidades, somos chamados a desenvolver uma compreensão dos aspetos integrais, valorizando tanto a sabedoria intrínseca resultante das nossas experiências pessoais de doença e saúde, e de avanços científicos e tecnológicos que poderão florescer com a promoção da saúde e do bem-estar.

 

Para perceber melhor algumas das ferramentas básicas usadas na prática dos cuidados de saúde integrais ou do indivíduo no seu todo, eis um elenco de doze ferramentas simples que pode usar no dia-a-dia.

 

– Examine a sua visão do mundo.  Considere a sua vida, o seu trabalho e as suas relações, e reconheça que tem uma visão única do mundo, um sistema de crenças, e uma forma de compreensão que promovem a saúde da pessoa no seu todo. A sua visão do mundo fornece-lhe uma lente para a perceção pela qual consegue ver tudo. Trazemos as nossas próprias crenças e assunções para o cuidado connosco próprios. Diversas práticas de cura e abordagens ao bem-estar enchem seu kit de cuidados de saúde, mas também tornam tudo mais complexo, quando as diferentes abordagens entram em conflito. Trazer a consciência a estas visões do mundo – a nossa e outras – pode ajudá-lo na colaboração com os seus amigos, família, e fornecedores de cuidados de saúde, muitos dos quais têm diferentes visões da saúde e da cura. Pare o tempo necessário para refletir sobre a sua visão do mundo, crenças, estereótipos e preconceitos. Quão estarão elas a limitá-lo ou a prendê-lo? Como poderão elas fornecer novas formas de comunicar com os pacientes de diversos contextos sociais e culturais?

 

– Adote uma perspetiva holística. O modelo holístico é baseado numa compreensão intuitiva da vida e da realidade como um todo indivisível. Ver-se a si e aos outros como seres sociais, emocionais, físicos e espirituais pode contribuir para uma comunicação efetiva e significativa que promova relações curativas e terapêuticas. Atente nas quatro perspetivas do mapa holístico: (1) o eu interior, que inclui dimensões pessoais e intencionais, (2) o eu exterior, que inclui dimensões comportamentais e fisiólogicas, (3) o interior coletivo, como o significado cultural comum, e (4) o exterior coletivo, que envolve as estruturas e os sistemas nos quais a saúde opera. Este mapa integral fornece-nos uma consciência ampla da complexidade de quem e do que somos na plenitude do nosso ser.

 

– Desenvolva relações de cura. Considere a importância das relações, reconhecendo o contributo e o apoio que estas parcerias podem trazer à sua vida. Em particular, concentre-se na sua relação consigo, fazendo uso de ferramentas internas que lhe permitam aceder à sua própria sabedoria interior, incluindo a escrita de um diário, meditação, orações, ou a comunhão com a natureza. A verdadeira cura pode dar-se quando trazemos o poder curativo das relações para a nossa própria sabedoria interior.

 

– A sabedoria curativa nasce na escuta ativa. Explore o processo profundo que é a escuta, seja a escutar os outros ou ao seu próprio sistema de orientação interno. Desenvolver e estimular estas capacidades, enquanto prática quotidiana, tem um impacto dramático na nossa capacidade para estarmos presente e despertos. Enquanto enfermeira-chefe, Janet Quinn confidenciou-me: “a verdadeira cura é muito mais do que eliminação dos nossos sinais e sintomas de doença.”

 

– Cultive a bondade amorosa Muitos curandeiros e mestres espirituais destacam que a maior fonte de cura no mundo é o amor. As ligações humanas e centradas no coração encontram-se na raiz da cura em qualquer nível do modelo holístico. Praticar a bondade amorosa para si próprio é tão importante quando oferecê-la àqueles com que mais se importa. Tire um momento para definir o que bondade amorosa significar para si e identificar formas de cultivar ternura e compaixão amorosa na sua vida diária.

 

– Moldar a saúde otimizada. Cada um de nós possui um conhecimento interior daquilo de que necessitamos para evoluir e conseguir o equilíbrio, ainda que muitas vezes não atendamos às nossas próprias necessidades. Arranjar tempo em cada dia para cuidarmos na natureza holística da nossa vida pode dar-lhe tudo para ser uma pessoal total. Isso significa também tratar do seu corpo, da sua mente, do seu espírito e das ligações com os outros e o mundo à sua volta. Arranjar tempo na natureza, encontrar ferramentas para a reflexão, fazer exercício e comer bem, tudo são formas de conservar e moldar a sua saúde holística e a dos outros.

 

– Desenvolva um sistema de apoio. Seja em grupo ou em contextos virtuais através das redes sociais, conhecer outras pessoas pode proporcionar-lhe formas de viver em novos padrões ou condutas. Encontre ou crie redes sociais que dêem suporte às suas descobertas. Trabalhar em equipa, participar em programas interpares, desenvolver rituais comuns e símbolos para partilhar com os outros são apenas algumas formas de se conectar, procurar apoio e partilhar o seus interesse em trazer a consciência à cura.

 

– Criar hábitos de cura. Habitats for Healing é um programa desenvolvido por Janet Quinn. Nele, ela convida-nos a encarar pequenas coisas que fazemos no dia-a-adia enquanto oportunidades para rituais de cura. Todos lavamos as mãos; ela sugere que determo-nos a ver a água correr comporta intenções curativas para nós e os outros. Liberte-se completamente do stress ou da ansiedade. Acolha um modelo de foco e equilíbrio, mesmo na mais frenético das circunstâncias. Use a água para se livrar de emoções indesejadas que estejam a perturbar a sua estabilidade.

 

– Defina intenções para a sua cura otimizadora. Pergunte a si mesmo: “O que é que mais me interessa? “Que valores quero ter para o conseguir?” Partindo destas reflexões, pode chegar a uma definição de intenções que, quando os desafios e oportunidades surgirem, terá desenvolvido um compasso interno no qual navegar e fazer escolhas de vida mais conscienciosas. Definir intenções fazer aumentar a presença, a atenção e a eficiência. Recorrer a afirmações dará mais força à intenção.

 

– Mantenha-se informado. A Internet é uma grande fonte de informação e confusão. Cada um de nós chega aos cuidados médicos com informação inédita. Permanecer atualizado e manter uma mentalidade curiosa e aberta em relação à sua saúde e à da sua família é algo que pode beneficiar do uso dos media sociais. Mas lembre-se também de ter algo algum tempo de pausa da tecnologia, cultivando a tecnologia interior que que o mantém enraizado e revigorado.

 

– Procure sempre o seu foco ao longo do dia. Lembre-se de respirar fundo e de se focar no seu coração. Aprenda com a sabedoria do seu coração, encontrando um lugar sagrado dentro de si. Dar ternura e compaixão pode ser um dom que o ajudará a crescer e a desenvolver aptidões emocionais e sociais.

 

– A morte torna a vida possível. Uma dimensão importante da saúde e da cura holísticas é o reconhecimento da natureza da nossa própria mortalidade e da daqueles que amamos e queremos bem. Reflita nas suas próprias visões da morte e do que acontece depois dela. Existem muitos mapas ou visões do mundo sobre este assunto, revelando um vasto leque de pontos de vista. Considerando-os, podemos encontrar conforto e um conjunto de possibilidades de compreensão da vida. Através de uma variedade de práticas holísticas que começam com a reflexão sobre nós próprios, olhe para os lugares onde sente medo e ansiedade. Respire nesses lugares, sinta a ligação ao fio que une cada ser vivo ao longo da História. Encontre formas de ultrapassar o sofrimento vivendo em pleno cada momento.

 

 —

Marilyn Schlitz é antropóloga social, investigadora, escritora e uma aclamada oradora. É fundadora e atual CEO da Worldview Enterprises. Para saber mais sobre ela, clique aqui.

VEJA TAMBÉM

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

IM Magazine reserves the right to approve all comments.
Ofensive comments will not be accepted.