Projetos e pessoas extraordinárias que estão a mudar o mundo


Navigation Menu+

O ÍNDICE DA MUDANÇA

     Jun 16, 2014

BTI transformation thinkers

Como estão a mudar os países e como estão os ‘pensadores da transformação’ a mudar o futuro?

O projeto Shaping Change (i.e mapear a mudança) teve origem na Fundação Bertelsmann, fundada por Reinhard Mohn, e divide-se em duas componentes estruturais: a avaliação de países em desenvolvimento através de um Índice de Transformação (BTI) e a promoção de encontros anuais entre agentes de mudança com menos de 45 anos (líderes desses processos de transformação nos vários países, Transformation Thinkers).

 

 1

A equipa BTI: Sabine Donner, Hauke Hartmann, Sabine Steinkamp e Robert Schwarz (da esqueda para a direita) © Bock & Gärtner

 

O Índice de Transformação da Fundação Bertelsmann (BTI) tem dois parâmetros principais: primeiramente avalia o estado de desenvolvimento e progresso dos países rumo à democracia e à economia de mercado; de seguida classifica a qualidade de governação dos decisores desses países.

 

Os fóruns dos Transformation Thinkers são lugares de partilha de experiências  –  o que é de uma importância fundamental, tendo em conta que os intervenientes vêm de países com pouca liberdade de expressão e com uma cultura de diálogo internacional bastante precária. É, ainda, promovida uma reflexão estratégica que pretende encontrar novos caminhos de intervenção nos países representados.

 

Através destas ações, o programa Shaping Change contribui não só para o contacto e diálogo entre países mais isolados, como também pressiona indiretamente os seus líderes e governos, no sentido da mudança, através dos relatórios que fornece.

 

Os relatórios BTI sustentam que a polarização social e a influência de dogmas religiosos têm vindo a aumentar consideravelmente enquanto se tem verificado um decréscimo da capacidade de gestão de conflitos. Simultaneamente, a pobreza e a desigualdade mantêm-se estruturalmente enraizadas em mais de metade dos países analisados. É neste sentido, e de forma a reagir aos dados recentes, que só uma sociedade auto confiante, com uma melhor rede organizacional, pode resistir a uma má gestão, a tendências autocráticas e a investidas de corrupção. É, ainda, importante que se perceba que esta propensão, a da desigualdade social, está associada a possíveis e prováveis protestos, como evidenciam os membros do BTI.

 political transformation BTI

Gráfico de Transformação Política, BTI 2014. Imagem cortesia do Transformation Index.

 

 

Surge, pois, a necessidade de um diálogo mais construtivo e eficiente com os movimentos de protesto e os cidadãos e é neste sentido que, consultando o sítio online actualizado do BTI, se podem encontrar algumas inovações relativas ao ano de 2014. À data é possível aceder, no mesmo, a relatórios dos 129 países constituintes; dados globais e o relatório completo BTI 2014; dados regionais e outros relatórios de coordenadores regionais disponíveis em alemão; e, por fim, o acesso online para o Atlas de Transformação (Transformation Atlas).

 

Este é, pois, o propósito do Índice de Transformação BTI, o de possibilitar uma transição para a democracia em países cujos cidadãos se encontram seriamente privados destas liberdades. A transição para uma economia de mercado é também algo fundamental para a organização, de forma a permitir a estes países um crescimento e desenvolvimento de estratégias futuras.

 

Além da avaliação do desenvolvimento dos países em questão e dos seus governantes, assim como da tentativa de colmatar as lacunas referentes à informação – ou falta dela -, o BTI 2014 trouxe consigo uma outra novidade. Com o advento do novo ano surge um projecto multimédia com a emissora alemã, Deutsche Welle, cuja informação e base de dados utilizada é fornecida pelo Índice de Transformação. Esta iniciativa, através dos jornalistas e correspondentes locais, procura atestar as causas do progresso e do fracasso através da investigação e das descobertas que esta possa potenciar. É, também, desejado que o público internacional participe na discussão dos resultados destas investigações jornalísticas nos media, contribuindo para que se passe-a-palavra sobre as temáticas em análise e que se possa, assim, ajudar a uma maior consciencialização sobre as mesmas. 

 

 

77979722-87e3-430f-b0a1-29933dfa2782

 © Sergey Nivens

 

 

Se desejar ficar mais atento ao que se está a passar do lado de lá da janela pode sempre esperar, a cada duas semanas, pelos episódios (em audiovisual) resultantes desta pareceria. Assim poderá ficar a conhecer os países que estão no bom caminho e aqueles que estão a ficar para trás; o porquê destas tendências; e possíveis introspecções no sentido de poder contribuir de alguma forma para levar a mudança a quem tanto precisa dela.

 

Para saber mais sobre este projeto e os seus processos de funcionamento, e ler a entrevista realizada pela IM Magazine a Hauke Hartmann e Sabine Donner (BTI), leia o artigo publicado anteriormente (com texto do jornalista Luís Lima e design de Salomé Nascimento).

VEJA TAMBÉM

0 Comments

Trackbacks/Pingbacks

  1. The Index Of Change: How countries are changing and how transformational thinkers are altering the future - IntelligentHQ - […] learn more about this project and its operating processes, you can read the article previously published in IM Magazine…

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

IM Magazine reserves the right to approve all comments.
Ofensive comments will not be accepted.