Projetos e pessoas extraordinárias que estão a mudar o mundo


Navigation Menu+

UM CASULO QUENTINHO QUE SALVA BEBÉS

     Jun 23, 2013

baby

O dia mais perigoso para um bebé é o dia do seu nascimento. Saiba como a Embrace está a mudar esta realidade.

Ainda que a falta de infra-estruturas ao nível do saneamento não seja a ameaça mais perigosa para as mais pequenas e vulneráveis vidas, todos os anos 20 milhões de crianças nascem prematuras ou com pouco peso, das quais cerca de 3 milhões não sobrevivem. Isto equivale à morte de 450 bebés por hora, quase o dobro de mortes resultantes de questões sanitárias.

quotept

A causa destas mortes, em grande parte, é muito simples: hipotermia. Todos nós dependemos de uma quantidade de gordura no nosso corpo que nos permite gerar calor suficiente para que os nossos órgãos possam funcionar devidamente. Para a maioria das pessoas, a variância natural de temperatura corporal ronda entre os 36.5°C e os 37.5 °C, a hipotermia começa quando desce para menos de 35º C.

 

“Estes bebés são tão pequeninos que não têm gordura suficiente para regular a sua própria temperatura”, explica Jane Chen, uma dos fundadores da Embrace. “Na verdade, a temperatura ambiente assemelha-se a águas geladas para eles.”

 

Nos hospitais ocidentais foram implementadas incubadoras de forma a resolver este problema. Estas estruturas, que se assemelham a aquários rectangulares, actuam como uma espécie de ambiente controlado onde a temperatura certa para evitar a hipotermia nos bebés é mantida. No entanto, o é que é que acontece nas localidades mais isoladas e pobres do mundo, onde não há hospitais ou electricidade?

 

Nestes casos particulares a opção que resta a estas mães angustiadas é a de encostarem os seus filhos ao peito ou perto de pequenas fogueiras, numa tentativa desesperada de os manterem com vida. Contudo, uma nova invenção foi feita no sentido de manter estas crianças vivas e saudáveis, a ponto de poder suplantar a própria incubadora tornando-a numa coisa do passado. 

 

 

Mission_600Bebé a usar o Embrace Infant Warmer. Imagem cortesia da Embrace.

 

 

O Embrace Infant Warmer (aquecedor infantil Embrace) é o resultado de uma ideia de um grupo de estudantes da Universidade de Stanford. Pouco ou nada sabiam sobre as necessidades e os recursos disponíveis nos países em desenvolvimento, no entanto fizeram um curso chamado Design for Extreme Affordability (Design para acessibilidades extremas) e assim nasceu a Embrace – agora bastante distanciada da realidade inicial de projecto escolar.

 

 

DesignTeam_600Fundadores da Embrace:  Naganand Murty, Linus Liang, Rahul Panicker,  e Jane Chen. Imagem cortesia de Social Story. 

 

 

O resultado de um longo período de avaliação, investigação e pesquisa local, assemelha-se a um saco de dormir sofisticado mas tem um elemento fundamental que o torna especial: uma pequena bolsa selada que contém no seu interior uma cera que pode ser aquecida. Esta, por sua vez, é colocada num compartimento traseiro do pequeno saco, o que permite à criança estar em contacto directo com a fonte de calor. Este pequeno invólucro permite que o bebé esteja a uma temperatura constante de 36º C a 37ºC, pelo menos por 4 horas, e a cera que irradia o calor pode ser reaquecida através de electricidade, nos casos em que ela se encontra disponível, ou através de água quente, nos casos em que ela não está.

 

Talvez o aspecto mais importante desta criação seja o seu custo, menos que 1% do orçamento das incubadoras – o desafio lançado pelo professor do curso Jim Patell. Porém, o contacto directo que permite estabelecer entre mãe e filho – o que se sabe ser fundamental nos primeiros dias do bebé e não acontece com as incubadoras normais – é com certeza uma mais-valia a ser reconhecida. Esta pequena invenção é quase como que um casulo. Os seus criadores garantem que se assemelha ao útero de uma mãe para este pequenos seres frágeis. 

 

Nisha foi a primeira bebé a usar o Embrace Infant Warmer no seu período inicial de teste. É provável que tenha sido também a primeira bebé a ser salva por esta equipa de jovens dedicados. 

quote2pt

Sudatha é uma indiana que vive com a morte dos seus 3 bebés a pesar-lhe o coração. Todos eles nasceram demasiado pequenos para que pudessem sobreviver normalmente e na altura não estavam disponibilizados meios que permitissem providenciar os cuidados necessários. O Embrace Infant Warmer veio tarde de mais para esta mãe mas assim que chegou à India salvou a vida a milhares de outros recém-nascidos. “Se eu tivesse isto poderia ter salvado os meus bebés, poderia ter tido filhos”, disse Sudatha ao tornar-se familiarizada com o Embrace Infant Warmer.

 

Em determinadas vilas indianas as famílias não atribuem nomes às suas crianças até estas alcançarem pelo menos um mês de idade – este comportamento revela a dimensão do problema. Devido à gravidade da situação, o objectivo inicial da Embrace passou por tentar salvar, na índia, o máximo de bebés prematuros, e com peso insuficiente, possível. No entanto, desde 2010 que o projecto se expandiu para outras partes do globo, salvando bebés de múltiplas nacionalidades.

 

 

impactImpacto da Embrace até à data. Imagem cortesia da Embrace. 

 

 

Nissima, por sua vez, é uma rapariga a viver com poucas possibilidades no Uganda. Tinha apenas 18 anos quando os seus pequenos gémeos decidiram vir ao mundo. Infelizmente, nasceram ambos prematuros e com pouco peso para sobreviverem sem cuidados especiais e o seu rapaz acabou por falecer durante uma transferência entre unidades hospitalares. No entanto, Nissima teve a alegria de ver a sua filha sobreviver, graças ao Embrace Infant Warmer, e deu-lhe o nome de Fortuna. O seu testemunho toca o coração de uma pessoa como a Embrace toca as vidas de milhares de mães por este mundo fora.

 

De acordo com Kathrine Kemp, Coordenadora dos Programas Internacionais, no ano 2013 a Embrace alcançou um marco na sua missão. Este grande acontecimento remete para o facto de terem conseguido providenciar estes Embrace Infant Warmers a mais de 50,000 prematuros e bebés com peso insuficiente. Além de providenciarem o material necessário ainda facilitaram cursos intensivos sobre hipotermia a mães e profissionais de saúde.

 

Agora que chegámos ao ano de 2014 a Embrace abraçou num novo objectivo, ainda mais ambicioso: o de levar estas formações a mais 10,000 indivíduos e providenciar o Embrace Infant Warmer a mais 150,000 bebés prematuros por todo o mundo.

 

Como qualquer produto verdadeiramente revolucionário, não são apenas os seus benefícios na vida diária das pessoas a que se destina que tornam o Embrace Infant Warmer especial. Tão pouco é apenas o facto de ser de simples uso, mesmo nas condições mais difíceis. O aspecto fundamental do Embrace Infant Warmer remete para o facto de permitir que a relação entre a mãe e o bebé se mantenha o mais normal possível dada a situação, salvando não só a saúde destes pequenos seres mas, muito provavelmente, o seu bem-estar futuro.

VEJA TAMBÉM

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

IM Magazine reserves the right to approve all comments.
Ofensive comments will not be accepted.